Home PageMapa do SiteImprimir

Imprimir
segunda, 17 janeiro 2011 10:15

Torne-se ativista

É mais fácil do que imagina, ser um ativista. A única coisa de que necessita é de vontade de fazer a diferença. E, claro, de acreditar que os Direitos Humanos devem ser respeitados em todas as ocasiões.

Independentemente da sua disponibilidade, da sua idade, das suas habilitações, da sua experiência ou do local onde vive, pode sempre ajudar-nos nesta luta diária pelos Direitos humanos.

Pode também disponibilizar-se para participar em Bancas e Ações Públicas. Sempre que necessário, será chamado para eventos que contem com a presença da AI Portugal. Aí, com a formação adequada, terá a oportunidade de apresentar a AI às outras pessoas e falar sobre os casos de violações de Direitos Humanos que todos os dias tentamos resolver, ao mesmo tempo que divulga o que cada um pode fazer para ajudar.

Se tem disponibilidade e interesse em ajudar de uma forma regular, acompanhando mais de perto o trabalho da AI Portugal, esta poderá ser a melhor forma de participação. Se estiver perto de Lisboa, poderá trabalhar como voluntário na Sede da AI Portugal. Aí, pode desenvolver atividades como arquivo (centro de documentação, fotográfico, videográfico), processamento de texto, inserção de dados, entre outras. Este trabalho é essencial para que todas as campanhas funcionem e mais pessoas colaborem connosco.

Se possui alguma experiência ou conhecimento que considere relevante para o nosso trabalho e que gostasse de pôr em prática (como conhecimentos de design gráfico, de fotografia, em formação ou línguas, entre outros), informe-nos também desse facto.

Torne-se Activista da Amnistia

 

Faça parte de um Grupo de Ativistas da AI Portugal

Muitos membros participam no trabalho da AI juntando-se a um grupo local, de acordo com a comunidade em que se inserem, seja a do local onde residem, da sua escola, universidade, profissão, interesses específicos ou outras.

Estes grupos participam ativamente no trabalho da AI Portugal. Trabalham casos individuais, divulgam a AI e os seus objetivos em escolas, universidades ou meios de comunicação social local, participam nas campanhas e ações da AI e nas atividades de angariação de fundos, entre outras formas de sensibilização e ação que o próprio Grupo consiga idealizar e realizar.

Sabe que também pode participar nestes Grupos da AI Portugal? E que, mesmo que não exista nenhum na sua localidade, pode ser você a tornar-se pioneiro, ajudando à formação de um? Com o devido apoio da Secção, poderá levar a cabo, em conjunto com outros ativistas, o trabalho de sensibilização e de mobilização da AI na sua localidade ou comunidade.

Conheça os Grupos já existentes e o seu trabalho: Contactos – Grupos e Núcleos da Amnistia

 

Grupo de Juristas 

Se é Jurista e quer partilhar os seus conhecimentos através de parecer sobre questões de Direitos Humanos, elaborado em conjunto com outros juristas voluntário e a pedido da Direção e/ou do(a) Diretor(a) Executivo(a), inscreva-se no Grupo de Juristas dirigindo um e-mail ao Coordenador do Grupo, Marco Ribeiro Henriques para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Para conhecer melhor esta estrutura, consulte o Regulamento do GJAI, a lista actual de membros e acompanhe as atividades no blogue do Grupo.

 

 

 

Ativismo Jovem

Se és jovem e procuras uma participação mais dinâmica, podes juntar-te a muitos outros jovens ativistas que já trabalham por um mundo melhor. A ReAJ – Rede de Ação Jovem da AI Portugal é uma rede que procura mobilizar jovens por todo o país para a ação em defesa dos direitos humanos. Através de teatros de rua, manifestações e vigílias, da música e de outras formas de arte e de todas as formas criativas que conseguires por em prática, os jovens ativistas da AI promovem assim os Direitos Humanos, levando esta mensagem a toda a gente. ReAJ tu também e faz parte desta Rede.

Torne-se um Activista Jovem

 

Junte-se à Rede de Ações Urgentes

Sendo o método que deu origem à própria AI, a escrita de cartas tem um valor que ainda hoje é bem real. Nesta Rede, pode receber por e-mail ou por correio, semanal, quinzenal ou mensalmente, um caso de iminente violação dos Direitos Humanos, sobre o qual deverá escrever a sua própria carta, nas suas próprias palavras, fazendo-a chegar às autoridades responsáveis, seja por correio, fax ou e-mail. Estas têm um enorme valor pela pressão efetiva que exercem sobre estas autoridades, e que em mais de um terço dos casos trabalhados resultam em melhorias na situação das vítimas, mas também pelo alento que significam para quem está a sofrer estas violações.

Junte-se à Rede de Acções Urgentes

 

Junte-se às nossas Redes Sociais

Ponto de encontro de milhões de pessoas por todo o mundo e palco de uma nova e moderna forma de participação, cidadania e ativismo, as Redes Sociais online contam também com a presença da AI Portugal. Aí, pode saber mais sobre o que se vai passando no mundo em matéria de direitos humanos, pode atuar, pode divulgar pelos seus amigos, pode comentar, pode indignar-se, pode aplaudir. Resumindo, pode ser ativo e participar!