Home PageMapa do SiteImprimir

MENA

terça, 21 abril 2015 14:51

Sentença pronunciada a ex-Presidente egípcio Morsi aponta para um julgamento de farsa

A sentença de 20 anos de prisão que foi dada ao ex-Presidente egípcio Mohamed Morsi, deposto em 2013, constitui uma troça da justiça e demonstra – uma vez mais – que o sistema de justiça penal egípcio parece incapaz de levar a cabo julgamentos justos nos processos em que são visados membros ou apoiantes da anterior governação e da Irmandade Muçulmana, considera a Amnistia Internacional.

 
sexta, 17 abril 2015 11:00

“A história exaltará aqueles que lutaram pela liberdade”: carta da irmã de Badawi para uma prisão saudita

A irmã do blogger saudita Raif Badawi e mulher do advogado de direitos humanos Waleed Abu al-Khair, Samar Badawi, escreveu uma carta para a prisão na Arábia Saudita onde o marido está preso há já um ano. Foi ele quem defendeu de início o caso de Raif Badawi, condenado por nada mais do que ter pensado e escrito em liberdade. Aqui se reproduz a carta de Samar, que é uma carta de louvor a quem luta pela liberdade, e de esperança no legado dos defensores de direitos humanos.

 
quinta, 16 abril 2015 00:38

Esperanças de reformas no Bahrein esmagadas em repressão brutal da dissidência

Novo relatório da Amnistia Internacional detalha os violentos abusos – incluindo tortura, detenções arbitrárias e uso excessivo da força – contra ativistas pacíficos e críticos do Governo que continuam a ocorrer no Bahrein, quatro anos depois da revolta que agitou este reino do Golfo Pérsico em 2011 e apesar das repetidas promessas de reformas feitas pelas autoridades em matéria de direitos humanos.

 
quinta, 26 março 2015 12:40

Grupos armados palestinianos mataram civis no conflito entre Gaza e Israel em ataques que constituem crimes de guerra

 

Grupos armados palestinianos deram mostras de um claro desrespeito pelas vidas de civis ao lançarem repetidos ataques indiscriminados de rockets e morteiros contra zonas civis israelitas durante o conflito de julho e agosto de 2014 entre Gaza e Israel, sustenta a Amnistia Internacional em novo relatório.

 
quarta, 18 março 2015 18:27

Ataque mortífero a museu de Tunes revela um total desrespeito pela vida

O ataque armado em que morreram pelo menos 19 pessoas e muitas outras ficaram feridas, num museu de Tunes, capital da Tunísia, esta quarta-feira, 18 de março, revela um desrespeito absoluto pelo direito à vida, avalia a Amnistia Internacional.

 
terça, 17 março 2015 00:09

Ataques impiedosos e ilegais das forças governamentais sírias matam numerosos civis em Raqqa

Um novo relatório da Amnistia Internacional fornece provas contundentes de que as forças governamentais sírias mataram numerosos civis em raides aéreos sobre a cidade de Raqqa em novembro de 2014, os quais violaram a lei internacional humanitária. Alguns daqueles ataques podem constituir crimes de guerra.

 
quinta, 12 março 2015 00:08

As luzes na Síria extinguiram-se em 83% nos quatro anos de conflito

 

O apagão é inegável: 83 por cento das luzes na Síria apagaram-se desde o início do conflito no país há quatro anos (completos no domingo, 15 de março), é revelado por uma coligação global de organizações humanitárias e de direitos humanos, que a Amnistia Internacional integra, com base na avaliação de imagens satélite do território captadas entre 2011 e 2015.

 
sexta, 06 março 2015 08:10

Arábia Saudita: 10 factos brutais para além do caso de Raif Badawi

 

Passaram-se 15 semanas desde que as autoridades sauditas levaram a cabo a primeira – e até à data única – flagelação do blogger e ativista Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão e mil chicotadas por “insultos ao Islão” e criação de um fórum online de debate político. (atualização a 24 de abril de 2015)

 
terça, 03 março 2015 11:36

Raif Badawi em risco de voltar a ser julgado e condenado à morte

blogger e ativista saudita Raif Badawi, que cumpre uma pena de dez anos de prisão na Arábia Saudita, tendo também sido condenado a mil chicotadas, enfrenta o risco de voltar a ser julgado sob a acusação de apostasia, o que implica a pena de morte.

 
sexta, 20 fevereiro 2015 14:43

Raif Badawi voltou a não ser flagelado mas já conta com mil dias de prisão por exercer liberdade de expressão

O blogger e ativista saudita Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão e mil chicotadas na Arábia Saudita, voltou a não ser flagelado esta sexta-feira, 20 de fevereiro, tendo a Amnistia Internacional apurado que, à semelhança das últimas três semanas, não foi também observado por médicos. Raif Badawi está já há mil dias na prisão apenas por exercer o direito de liberdade de expressão.

 

Pág. 9 de 27