Home PageMapa do SiteImprimir

MENA

terça, 17 março 2015 00:09

Ataques impiedosos e ilegais das forças governamentais sírias matam numerosos civis em Raqqa

Um novo relatório da Amnistia Internacional fornece provas contundentes de que as forças governamentais sírias mataram numerosos civis em raides aéreos sobre a cidade de Raqqa em novembro de 2014, os quais violaram a lei internacional humanitária. Alguns daqueles ataques podem constituir crimes de guerra.

 
quinta, 12 março 2015 00:08

As luzes na Síria extinguiram-se em 83% nos quatro anos de conflito

 

O apagão é inegável: 83 por cento das luzes na Síria apagaram-se desde o início do conflito no país há quatro anos (completos no domingo, 15 de março), é revelado por uma coligação global de organizações humanitárias e de direitos humanos, que a Amnistia Internacional integra, com base na avaliação de imagens satélite do território captadas entre 2011 e 2015.

 
sexta, 06 março 2015 08:10

Arábia Saudita: 10 factos brutais para além do caso de Raif Badawi

 

Passaram-se 15 semanas desde que as autoridades sauditas levaram a cabo a primeira – e até à data única – flagelação do blogger e ativista Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão e mil chicotadas por “insultos ao Islão” e criação de um fórum online de debate político. (atualização a 24 de abril de 2015)

 
terça, 03 março 2015 11:36

Raif Badawi em risco de voltar a ser julgado e condenado à morte

blogger e ativista saudita Raif Badawi, que cumpre uma pena de dez anos de prisão na Arábia Saudita, tendo também sido condenado a mil chicotadas, enfrenta o risco de voltar a ser julgado sob a acusação de apostasia, o que implica a pena de morte.

 
sexta, 20 fevereiro 2015 14:43

Raif Badawi voltou a não ser flagelado mas já conta com mil dias de prisão por exercer liberdade de expressão

O blogger e ativista saudita Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão e mil chicotadas na Arábia Saudita, voltou a não ser flagelado esta sexta-feira, 20 de fevereiro, tendo a Amnistia Internacional apurado que, à semelhança das últimas três semanas, não foi também observado por médicos. Raif Badawi está já há mil dias na prisão apenas por exercer o direito de liberdade de expressão.

 
sexta, 13 fevereiro 2015 10:29

Parlamento Europeu aprova resolução pela libertação do blogger Raif Badawi

O Parlamento Europeu adoptou uma resolução em defesa do blogger e ativista saudita Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão e mil chicotadas, instando à sua libertação, assim como de todos os outros prisioneiros de consciência na Arábia Saudita. A Amnistia Internacional apurou que Raif Badawi não foi submetido a nova ronda de chicotadas esta sexta-feira, 13 de fevereiro.

 
quinta, 12 fevereiro 2015 12:56

Dois jornalistas da Al-Jazira libertados a aguardar novo julgamento no Egito

Os dois jornalistas da Al-Jazira Internacional que permaneciam detidos no Cairo foram ambos libertados esta quinta-feira, 12 de fevereiro, até que lhes seja pronunciada sentença no novo julgamento decretado pela instância de recurso à condenação anterior. A Amnistia Internacional reitera que as acusações contra eles formuladas devem ser anuladas.

 
terça, 10 fevereiro 2015 13:36

Vigília pela libertação de Raif Badawi junto à embaixada da Arábia Saudita em Lisboa

 

A Amnistia Internacional Portugal organiza uma vigília em frente à embaixada da Arábia Saudita, em Lisboa, esta quarta-feira, 11 de fevereiro, para apelar à libertação imediata e incondicional do ativista e blogger  saudita Raif Badawi.

 
quarta, 04 fevereiro 2015 17:02

Execuções retaliatórias não são resposta ao horroroso assassinato do piloto jordano pelo Estado Islâmico

A perversa e brutal execução sumária do piloto jordano capturado e queimado vivo dentro de uma jaula pelo grupo armado jihadista que se autodenomina Estado Islâmico foi um ato atroz contra a humanidade, frisa a Amnistia Internacional, alertando também que reagir-lhe com outras execuções não é a resposta.

 
segunda, 02 fevereiro 2015 14:19

Confirmação de mais 183 penas de morte no Egito é chocante

As sentenças de morte confirmadas no Egito esta segunda-feira, 2 de fevereiro, na sequência de julgamentos injustos e minados com o não cumprimento dos padrões de justiça, são um renovado sinal do desrespeito do país pelas leis nacionais e internacionais, avalia a Amnistia Internacional.

 

Pág. 9 de 26