Home PageMapa do SiteImprimir

Guiné-Bissau

quinta, 25 outubro 2012 17:58

Guiné-Bissau: Agressões e intimidação criam clima de medo

Um clima de medo assola a Guiné-Bissau desde terça-feira após dois críticos do governo terem sido gravemente agredidos e os soldados terem iniciado rusgas procurando suspeitos de envolvimento num ataque a um quartel militar que teve lugar no domingo.

 
terça, 17 abril 2012 18:54

Amnistia Internacional preocupada com a repressão na sequência do golpe militar na Guiné-Bissau

altA Amnistia Internacional afirma que o aumento das restrições impostas aos manifestantes, aos meios de comunicação social e à liberdade de movimento está a alimentar o medo e insegurança após o golpe militar na Guiné Bissau.

 
sexta, 13 abril 2012 19:33

Amnistia Internacional preocupada com a tentativa de golpe na Guiné-Bissau

O golpe militar na Guiné-Bissau realça as preocupações relativas aos direitos humanos que continuam por resolver no país, afirma a Amnistia Internacional.

 
quarta, 06 outubro 2010 17:48

E insta, ainda as autoridades a pôr fim à impunidade das violações dos direitos humanos cometidas pelas forças armadas. A Amnistia Internacional congratula-se com o compromisso da Guiné-Bissau a propósito da Revisão Periódica Universal e do seu apoio num importante número de recomendações, incluindo a adopção de uma lei que criminaliza a mutilação genital feminina. A Amnistia congratula-se ainda com a declaração da Guiné-Bissau, segundo a qual duas recomendações para proibir a discriminação contra as mulheres, na lei e na Constituição, estão em processo de ser implementadas.

 
segunda, 19 setembro 2016 14:42

Na véspera das eleições presidenciais na Guiné-Bissau no próximo Domingo, 28 de Junho de 2009, a Amnistia Internacional apela aos candidatos, ao governo e às forças de segurança para que se comprometam publicamente com o respeito pelos direitos humanos durante o processo eleitoral e no seu seguimento do mesmo.
O governo e as forças de segurança devem assegurar que as forças armadas não violem os direitos humanos e que aqueles que o façam sejam levados perante a justiça.

 
sexta, 18 junho 2010 17:46

Na véspera das eleições na Guiné-Bissau, a Amnistia Internacional apela aos observadores eleitorais internacionais para que incluam a monitorização dos direitos humanos como elemento central dos objectivos da sua missão e considerem seguir as recomendações expressas no briefing elaborado pela organização, que constituem directrizes gerais que visam a monitorização integrada das eleições e dos direitos humanos.

 
segunda, 15 junho 2009 17:46

A Amnistia Internacional repudia os aparentes homicídios ilícitos e execuções extrajudiciais de políticos pelas Forças Armadas da Guiné-Bissau e receia que a situação dos direitos humanos continue a deteriorar-se ainda mais no período que antecede as eleições presidenciais, marcadas para 28 de Junho de 2009.
A Amnistia Internacional está preocupada perante a prisão arbitrária de vários ex-membros do governo, tendo pelo menos um deles sido espancado na altura da sua prisão; outros esconderam-se, receosos pela sua segurança. 

 
segunda, 06 abril 2009 17:44

Luís Vaz Martins, advogado e presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, recebeu ameaças de um indivíduo armado após condenar publicamente a prisão e tortura do destacado advogado Pedro Infanda e as agressões ao actual Presidente do Tribunal de Contas e antigo Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau, Francisco José Fadul.
Em consequência disto, ele e outros membros da Liga Guineense dos Direitos Humanos estão preocupados com a sua segurança pessoal e tomaram precauções, alterando nomeadamente as suas actividades normais.