Home PageMapa do SiteImprimir

China

quarta, 25 fevereiro 2009 11:46

A Amnistia Internacional chama à atenção das autoridades de Macau para que seja travado o projecto de lei para a segurança nacional, visto que pode vir a tornar-se numa lei abusiva. “Uma vez que o projecto de lei se torne lei, as suas disposições vagas podem ser usadas para prender indivíduos meramente por porem em prática os seus direitos de liberdade de expressão e reunião” referiu Roseann Rife, directora-adjunta da Amnistia Internacional para a Ásia e Pacifico.

 
segunda, 16 fevereiro 2009 11:44

Gao Zhishengé um advogado, defensor dos Direitos Humanos que viu a sua licença para praticar advocacia suspensa, em Novembro de 2005, após ter escrito uma série de 3 cartas para o Presidente Hu Jintao e para o Primeiro-ministro Wen Jiabao pedindo-lhes para fazer parar a tortura e os maus-tratos dos adeptos do movimento espiritual Falun Gong detidos e a perseguição aos cristãos de Igrejas não reconhecidas pelo Estado Chinês e aos activistas dos Direitos Humanos.
Em Fevereiro de 2006 organizou greves da fome para chamar a atenção para a perseguição dos que protestavam pacificamente exigindo respeito pelos direitos humanos.

 
quinta, 05 fevereiro 2009 11:41

Governo devia confirmar que Gao Zhisheng não está a ser torturado ou sujeito a maus tratos. O Governo Chinês devia divulgar imediatamente o paradeiro de Gao Zhisheng, um advogado de direitos humanos desaparecido há duas semanas atrás, referiram numa declaração conjunta a Human Rights Watch, a Amnistia Internacional e a Organização de Direitos Humanos na China. Estas três organizações sublinharam que Gao estava em risco de ser sujeito a maus tratos e a graves torturas pelos serviços de segurança da China e apelam à sua libertação imediata. Em Janeiro de 2007, Gao foi detido durante várias semanas, logo após ter enviado uma carta aberta ao Congresso dos EUA, na qual denunciava a situação dos direitos humanos na China e descrevia os maus a que ele e a sua família foram sujeitos pelas forças de segurança.

 
quarta, 14 janeiro 2009 11:40
O departamento de Segurança Pública de Xangai deteve Mao Hengfeng, activista dos direitos humanos, durante uma manifestação pacífica contra os despejos forçados e outras violações dos direitos humanos na cidade. Foi detida juntamente com outras pessoas, entre as quais a sua filha.

No entanto, enquanto todos os outros foram libertados, Mao permaneceu detida e condenada a 7 dias de detenção administrativa por perturbar a ordem pública. 

A família afirma que observou indícios, durante uma visita, de que Mao ainda não tinha comido e de que havia sido agredida. A directora do Programa Ásia Pacífico da Amnistia Internacional entende que Mao Hengfeng foi arbitrariamente detida por exercer o seu direito a protestar pacificamente e (...) deve ser imediata e incondicionalmente libertada.

Saiba mais sobre o caso de Mao Hengfeng.

 

 
quarta, 14 janeiro 2009 11:39
A Amnistia Internacional teve conhecimento de que o acesso ao seu site principal, www.amnesty.org, foi novamente bloqueado na China continental. A organização apela às autoridades chinesas para o imediato restabelecimento do acesso ao site. Outros sites foram também bloqueados como parte de um esforço anunciado de libertar o domínio chinês de conteúdos “obscenos”. Roseann Rife, Vice-Directora do Programa Ásia Pacífico da Amnistia Internacional, entende que “estes retrocessos nos direitos humanos são inaceitáveis, especialmente agora que a China se prepara para apresentar, pela primeira vez, um Plano de Acção para os Direitos Humanos”.


O site já havia sido bloqueado e o acesso foi apenas restabelecido com a proximidade dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.

Saiba mais informações sobre este bloqueio.

 

 
quarta, 23 julho 2008 11:37

A Amnistia Internacional volta hoje a exigir a libertação imediata do activista pelos direitos humanos chinês Ye Guozhu, que deveria ser libertado no próximo sábado, dia 26 de Julho, tendo as autoridades informado a família que o pretendem manter preso até 1 de Outubro, altura em que os Jogos Olímpicos de 2008 já terão terminado.

 
terça, 15 julho 2008 11:33

Ao final da tarde de ontem, 14 de Julho, a Amnistia Internacional Portugal manifestou-se em frente à Embaixada chinesa, em mais uma acção de rua organizada pelo Co-Grupo da China. Num protesto silencioso, foram envergadas 16 faixas onde se podiam ler apelos dirigidos à República Popular da China, como o respeito pelos direitos humanos e o fim da censura e das execuções.
 

 
sexta, 11 julho 2008 11:31

Na próxima segunda-feira, dia 14 de Julho, o Co-Grupo da China irá promover mais uma acção de rua em torno da campanha dos Jogos Olímpicos de Pequim, frente à Embaixada da República Popular da China, na Rua do Pau da Bandeira (junto ao Hotel Lapa Palace), pelas 18 horas.

 

Pág. 8 de 9