Home PageMapa do SiteImprimir

Imprimir
sexta, 31 dezembro 2010 12:42

Como atuamos

Trabalhando com e para indivíduos em todo o mundo, fazemos campanha para que todas as pessoas possam gozar de todos os direitos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Investigamos e agimos com o objetivo de prevenir e acabar com as graves violações destes direitos, exigindo que todos os governos e outras entidades poderosas respeitem o primado da lei. Isto significa que fazemos campanha a nível mundial e local onde podemos fazer a diferença.

Milhares de membros da Amnistia Internacional respondem a apelos para Ações Urgentes em nome de pessoas que correm risco imediato. A publicidade através dos órgãos de comunicação social e da Internet levam a nossa mensagem em vários idiomas até milhares de pessoas.

As campanhas podem mudar a vida das pessoas – das vítimas e sobreviventes de violações dos direitos humanos, de ativistas e defensores dos direitos humanos e até mesmo daqueles que os violam.

Todas as nossas campanhas e investigação baseiam-se em factos. De entre as muitas atividades que desenvolvemos:

  • Enviamos peritos para falar com as vítimas;
  • Observamos julgamentos;
  • Entrevistamos agentes locais;
  • Contactamos com ativistas dos direitos humanos;
  • Monitorizamos os meios de comunicação globais e locais;
  • Publicamos relatórios detalhados;
  • Informamos os órgãos de comunicação social;
  • Publicitamos as nossas preocupações através de documentos, folhetos, posters, anúncios publicitários, boletins e sítios da Internet.

Podemos ajudar a parar as violações dos direitos humanos mobilizando o público no sentido de exercer pressão sobre governos, grupos políticos armados, empresas e órgãos intergovernamentais através de: 

  • Manifestações públicas;
  • Vigílias;
  • Campanhas de escrita de cartas;
  • Educação para os Direitos Humanos;
  • Concertos de sensibilização;
  • Lobbying directo;
  • Apelos direcionados;
  • Petições por email e outras ações online;
  • Parcerias com campanhas de grupos locais;
  • Atividades comunitárias;
  • Cooperação com grupos de estudantes.

Nas áreas em que não temos experiência recorremos à parcerias que são úteis e necessárias porque nos permitem partilhar recursos, experiências e informação. Ao mesmo tempo garantem o efeito multiplicador das ações e campanhas.