Home PageMapa do SiteImprimir
 

Notícias

quinta, 10 dezembro 2015 14:26

Mais de 12 mil refugiados encurralados e em risco na “terra de ninguém” da fronteira da Jordânia com a Síria

 

A Jordânia tem de agir quanto antes para dar assistência às mais de 12 mil pessoas às quais foi negada a entrada no país e se encontram agora em situação desesperada e a tentar sobreviver sob temperaturas geladas na “terra de ninguém” do lado jordano da fronteira com a Síria, alerta a Amnistia Internacional. Entre estes refugiados estão mulheres grávidas, crianças e idosos e pessoas em condições clínicas graves.

 
terça, 03 novembro 2015 10:44

Casal sírio começa uma vida nova na Noruega ao abrigo da reinstalação

 

A reinstalação é uma corda de salva-vidas para alguns dos mais vulneráveis refugiados do mundo: uma jovem família oriunda da Síria conta a enorme diferença na vida deles ao mudarem-se para a Noruega. E partilha o que mais desejam, numa conversa com Ina Strøm, da Amnistia Internacional Noruega.

 
segunda, 19 outubro 2015 17:20

Centenas de refugiados e requerentes de asilo encurralados e em condições precárias entre a Croácia e a Eslovénia

 

As autoridades croatas e eslovenas têm de avançar urgentemente com soluções eficazes para o fluxo de pessoas nos seus territórios, esperando-se que milhares venham a juntar-se às centenas de refugiados e requerentes de asilo que passaram a noite de domingo para segunda-feira encurralados entre os postos de controlo da Croácia e da Eslovénia.

 
segunda, 12 outubro 2015 01:01

Falhanço catastrófico dos países ricos no abandono de milhões de refugiados a destinos cruéis e incertos

 

O falhanço moral catastrófico dos líderes mundiais que hesitam e discutem entre si, enquanto insensivelmente votam ao abandono milhões de pessoas a um sofrimento atroz e condições desastrosas de dignidade humana, vai definir o seu legado para muitas gerações vindouras, avalia a Amnistia Internacional no plano de oito pontos concebido para dar respostas às múltiplas crises de refugiados no mundo.

 
quinta, 08 outubro 2015 09:03

União Europeia tem de notificar formalmente a Hungria pelas violações cometidas na crise de refugiados

 

O Governo húngaro investiu mais de 100 milhões de euros em cercas de arame farpado e controlos de fronteira para manter refugiados e migrantes do lado de fora, o que é o triplo do valor gasto pelo país no acolhimento de requerentes de asilo, apura a Amnistia Internacional em novo relatório, com a recomendação de que a União Europeia avise formalmente aquele Estado-membro sobre as violações que tem vindo a cometer na atual crise de refugiados no espaço europeu.

 

Pág. 9 de 21