Home PageMapa do SiteImprimir
 

Relatórios

terça, 27 setembro 2016 09:28

Abusos terríveis de requerentes de asilo na Hungria são uma deliberada manobra populista

SiteFOTOrefugiadosHungriaReferendo

 

Milhares de requerentes de asilo – incluindo crianças não acompanhadas – estão a sofrer abusos violentos, a serem sujeitos a retornos forçados e a detenções ilegais às mãos das autoridades húngaras e de um sistema deliberadamente criado para os impedir de entrarem e permanecerem no país, revela novo relatório da Amnistia Internacional publicado esta terça-feira, 27 de setembro.

 
sexta, 03 junho 2016 01:01

Retornos forçados de refugiados e requerentes de asilo da UE para a Turquia são irresponsáveis e ilegais

 

A União Europeia (UE) tem de parar imediatamente os planos de fazer regressar requerentes de asilo à Turquia com base na falsa premissa de que aquele é um “país seguro” para os refugiados, insta a Amnistia Internacional com a publicação de um novo briefing esta sexta-feira, 3 de junho.

 
quinta, 19 maio 2016 01:01

Novo Índice de Acolhimento dos Refugiados global: políticas dos governos para os refugiados estão desfasadas da vontade pública

 

A larga maioria das pessoas (80%) acolhe os refugiados de braços abertos, com muitas recetivas mesmo a receberem-nos em suas casas, apurou uma sondagem global comissionada pela Amnistia Internacional.

 
terça, 02 fevereiro 2016 00:01

Refugiadas sírias no Líbano enfrentam riscos acrescidos de exploração e perseguição sexual

 

Insuficiente assistência internacional e políticas discriminatórias impostas pelas autoridades do Líbano estão a criar condições que permitem a exploração e o abuso de mulheres refugiadas naquele país, denuncia a Amnistia Internacional em novo relatório publicado em vésperas da Conferência de Doadores para a Síria, agendada para esta quinta-feira, 4 de fevereiro, em Londres.

 
quarta, 16 dezembro 2015 11:06

UE arrisca-se a ser cúmplice nas detenções e deportações ilegais de refugiados feitas pela Turquia

 

A União Europeia (UE) arrisca-se a tornar-se cúmplice em graves violações de direitos humanos cometidas contra refugiados e requerentes de asilo, sustenta a Amnistia Internacional, cuja investigação reporta provas contundentes de que as autoridades da Turquia estão a deter ilegalmente e a pressionar estas pessoas a regressarem a zonas de guerra.

 

Pág. 2 de 7