Home PageMapa do SiteImprimir
 

Relatórios

terça, 15 novembro 2016 13:52

Governo do Quénia está a coagir refugiados de Dadaab a regressarem à devastação da guerra na Somália

SiteFOTOrefugiadosDadaabQueniaFechoIminenteDuas semanas apenas até ao fim do prazo para o fecho do campo de refugiados de Dadaab, o maior do mundo, responsáveis governamentais no Quénia estão deliberadamente a coagir refugiados a regressarem à Somália onde enfrentam o risco de serem mortos ou feridos no continuado conflito armado naquele país, sustenta a Amnistia Internacional em novo relatório.

 
quinta, 03 novembro 2016 15:07

Políticas migratórias europeias de “endurecimento” levam a abusos de refugiados e migrantes em Itália

SiteFOTOrefugiadosMausTratosItaliaA pressão exercida pela União Europeia sobre a Itália para que este país “endureça” as suas políticas e práticas sobre os refugiados e migrantes tem resultado em expulsões ilegais e maus-tratos que, em alguns casos, constituem atos de tortura, é revelado em novo relatório da Amnistia Internacional.

 
quarta, 19 outubro 2016 16:23

Regime de crueldade australiano tornou Nauru numa prisão a céu aberto

SiteFOTOrefugiadosAustraliaNauru

 

O Governo australiano está a sujeitar refugiados e requerentes de asilo a um sistema elaborado e cruel de abusos – violando descaradamente a lei internacional – com o propósito único de os manter longe das suas costas, sustenta a Amnistia Internacional em novo relatório.

 
sexta, 14 outubro 2016 15:04

América Central está a virar costas a centenas de milhares de pessoas que fogem de uma violência “de guerra”

SiteFOTOrefugiadosAmericasTrianguloNorteMexicoEUArelatorio

 

Os governos na América Central estão a alimentar o agravamento da crise global de refugiados, fracassando em refrear a violência brutal e as altas taxas de homicídio em países como El Salvador, Guatemala e Honduras que forçam centenas de milhares de pessoas a fugir rumo a norte, ao México e aos Estados Unidos, documenta a Amnistia Internacional em novo relatório.

 
terça, 04 outubro 2016 10:10

Políticas de “interesse próprio” e egoísmo dos países ricos vão agravar a crise global de refugiados

SiteFOTOrefugiadosAvaliacaoGlobalCriseEuAcolhoOficial

 

Os países ricos têm vindo a mostrar uma total falta de liderança e de responsabilidade, deixando em apenas uma dezena de nações, as quais representam menos de 2,5% do PIB mundial, a tarefa de acolherem 56% da população mundial de refugiados, sustenta a Amnistia Internacional numa avaliação abrangente da crise global de refugiados publicada esta terça-feira, 4 de outubro, dia de arranque oficial da campanha I Welcome/Eu Acolho.

 

Pág. 1 de 7