Home PageMapa do SiteImprimir
 
Acabar com a violência sobre as mulheres

Imprimir
quinta, 13 fevereiro 2014 15:53

V-Day: mil milhões pelo fim da violência contra as mulheres

O movimento global One Billion Rising vai voltar a levar a dança às ruas de centenas de países pelo mundo inteiro em defesa da justiça e numa recusa da violência contra as mulheres, já esta sexta-feira, 14 de fevereiro, na segunda edição do V-Day, que, em Portugal, terá eventos em Lisboa e Coimbra.

Esta campanha mundial é um apelo a todas as mulheres que sobreviveram a atos de violência e a todos os que a amam para que, juntos, se reúnam em locais públicos e quebrem o silêncio através da dança, arte, desfiles e marchas, canções e recitais, e a partilha das suas histórias.

Em 2013, o V-Day envolveu mil milhões de pessoas em 207 países, exigindo o fim da violência contra mulheres e raparigas. Este ano, de novo a 14 de fevereiro, é feito o apelo a todos para que por todo o mundo “se ergam, libertem e dancem” e, uma vez mais, reivindiquem a justiça e a segurança a que as mulheres têm direito.

Em Portugal, Lisboa tem concentração marcada para a Estação de Comboios do Rossio (nos Restauradores), às 18h30, numa organização do V-Day em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e com o apoio de várias ONG, incluindo a Amnistia Internacional Portugal. E em Coimbra, o V-Day vai encher o Atrium Solum Centro Comercial, a partir das 18h.

O V-Day nasceu de uma ideia da dramaturga norte-americana Eve Ensler, autora do best-seller “Os Monólogos da Vagina”, depois de uma visita a uma comunidade na República Democrática do Congo, onde as mulheres, frequentes vítimas de violência, curavam as suas feridas através da dança. “Vi o poder daqueles ritos e comecei a pensar o que seria de mil milhões de mulheres, e todos os homens que as amam, dançassem no mesmo dia por todo o planeta”, explicou a escritora numa entrevista em 2013.

A iniciativa foi logo naquele ano um sucesso. Em 2014, a organização do V-Day quer ir ainda mais longe, pelo que foram formadas equipas nos vários países para pôr em marcha esta nova edição do evento: Portugal, com Lisboa e Coimbra, também está neste mapa de consciencialização de justiça e proteção das mulheres.