Home PageMapa do SiteImprimir

Notícias

sexta, 21 janeiro 2011 00:00

Haiti: Vão ser investigadas as violações aos Direitos Humanos durante o governo de Jean-Claude Duvalier

As autoridades haitianas declararam à Amnistia Internacional que estão a lançar uma investigação sobre os crimes contra a Humanidade cometidos durante o governo de Jean-Claude Duvalier, nas décadas de 70 e 80.

 
quarta, 19 janeiro 2011 00:00

Croácia: AI congratula-se com debate sobre os crimes de guerra

A Amnistia Internacional (AI) congratula-se com a discussão pública sobre o julgamento de crimes cometidos durante a guerra na Croácia, entre 1991 e 1995, após a publicação do relatório da organização intitulado Behind a wall of silence: Prosecution of war crimes in Croatia, em Dezembro de 2010.

 
segunda, 17 janeiro 2011 00:00

Prisioneiros políticos em Angola detidos por lei não-existente

Os mais de 30 prisioneiros angolanos, ainda detidos em condições deploráveis, ao abrigo de uma lei de segurança pouco clara que foi revogada no ano passado, devem ser libertados, declararam à Amnistia Internacional os familiares dos detidos.

 
sexta, 07 janeiro 2011 10:29

Costa do Marfim: pessoas indefesas necessitam de protecção urgente contra a escalada de violência

altTestemunhas oculares relataram à Amnistia Internacional (AI) que o número de raptos, desaparecimentos e abusos físicos está a aumentar, à medida que se intensifica a violência pós-eleição na Costa do Marfim.

 

 
sexta, 07 janeiro 2011 10:27

Rússia deve anular a condenação injusta de empresário

A 27 de Dezembro, o proeminente empresário Mikhail Khodorkovsky foi condenado por branqueamento de capitais. A Amnistia Internacional apela aos Tribunais de Moscovo para que anulem a sentença, uma vez que considera que o julgamento foi injusto e aparentemente motivado por razões políticas.

 
sexta, 07 janeiro 2011 10:25

Hungria: nova Lei da Comunicação Social ameaça liberdade de expressão

A Lei da Comunicação Social recentemente aprovada na Hungria irá impor restrições mais amplas à liberdade de expressão, alertou a Amnistia Internacional no passado dia 23 de Dezembro.

 

 
segunda, 01 junho 2009 00:00

Arábia Saudita: A Amnistia Internacional lamenta execuções e crucificação

A Amnistia Internacional lamenta a execução e crucificação que ocorreram na Arábia Saudita no passado dia 29 de Maio de 2009. Ahmed bin ‘Adhaib bin ‘Askar al-shamlani al-‘Anzi foi decapitado e o seu corpo crucificado num local público em Riyadh.
Ele havia sido condenado por alegados delitos de sequestro e homicídio de um pai e seu filho, bem como por anteriores delitos de Luwat (relações sexuais homossexuais), posse de material sexualmente explícito e por apontar uma arma contra forças de segurança que tentavam prendê-lo.

“É horrífico que decapitações e crucificações ainda aconteçam,” afirmou Hassiba Hadj Sahraoui da Amnistia Internacional. “O Rei Adbullah deveria mostrar verdadeira liderança e comutar todas as penas de morte se pretende que a Arábia Saudita desempenhe um papel importante como líder global ou membro dos G20.”

A Arábia Saudita continua a desafiar a resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas adoptada em 2007 e 2008 apelando a uma moratória das execuções. A Amnistia Internacional registou um total de 102 execuções naquele país em 2008. Devido ao secretismo do sistema judicial criminal na Arábia Saudita, não é possível apurar quantas pessoas terão sido condenadas à morte, mas a Amnistia Internacional tem conhecimento de, pelo menos, 136 pessoas que se pensa estarem a aguardar execução.

 

Pág. 77 de 77