Home PageMapa do SiteImprimir

Notícias

sexta, 07 outubro 2016 14:18

Prémio Nobel da Paz mostra que a Colômbia não pode fechar a porta às esperanças de paz com justiça

SiteFOTOnobelPazPresidenteColombiaA atribuição do prémio Nobel da Paz de 2016 ao Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, sublinha a expetativa de que os colombianos irão perseverar na busca pela paz com justiça, avalia a Amnistia Internacional em reação ao anúncio feito esta sexta-feira, 7 de outubro, pelo comité norueguês.

 
segunda, 03 outubro 2016 10:23

Chegou a hora para a UE erradicar o comércio da tortura

SiteFOTOtorturaComercioRegulamentoUE

 

O Parlamento Europeu tem de aprovar medidas para fortalecer a histórica regulação da União Europeia (UE) no combate ao comércio de equipamento e instrumentos que possam ser usados em práticas de tortura, para infligir maus-tratos ou executar pessoas, instam a Amnistia Internacional e a Omega Research Foundation, em vésperas do debate e voto crucial esta terça-feira, 4 de outubro, na assembleia europeia, das últimas emendas ao Regulamento (Council Regulation, EC) 1236/2005 sobre o comércio de tortura, já validadas pelo Conselho Europeu.

 
quinta, 29 setembro 2016 12:30

Provas credíveis de uso de armas químicas contra civis pelas forças governamentais sudanesas no Darfur

SiteFOTOdarfurArmasQuimicasJebelMarra

 

Nova investigação da Amnistia Internacional recolheu provas sólidas de um uso repetido por parte das forças governamentais do Sudão de armamento químico contra civis, incluindo crianças, numa das mais remotas regiões do Darfur ao longo dos últimos oito meses.

 
sexta, 09 setembro 2016 10:28

Blogger preso preventivamente na Rússia por jogar Pokémon numa igreja tem de ser imediatamente liberto 

A detenção preventiva do blogger russo Ruslan Sokolovski, após ter publicado nas redes sociais um vídeo onde aparece a jogar Pokémon Go numa catedral de Iekaterinburg, nos montes Urales, constitui um ataque ridículo à liberdade de expressão na Rússia, avalia a Amnistia Internacional.

 
quinta, 01 setembro 2016 17:00

Ativistas ambientais nas Honduras e Guatemala defendem a terra com o próprio sangue e a vida

 

Uma vaga insidiosa de ameaças, acusações falsas e campanhas de difamação, ataques e assassinatos de ativistas ambientais e que defendem o direito à terra nos meses mais recentes nas Honduras e na Guatemala tornaram estes dois países nos mais perigosos em todo o mundo para aqueles que protegem os recursos naturais, alerta a Amnistia Internacional num novo relatório, publicado seis meses após o homicídio brutal da líder indígena hondurenha Berta Cáceres.

 
quarta, 31 agosto 2016 16:12

Libertação de ativistas pró-democracia no Congo é motivo de celebração

A libertação de quatro ativistas pró-democracia na República Democrática do Congo (RDC) – incluindo os prisioneiros de consciência Fred Bauma e Yves Makwambala – é motivo de celebração, mas estas pessoas permanecem em risco de voltarem a ser presas a não ser que as acusações que lhes formularam sejam anuladas, alerta a Amnistia Internacional.

 
terça, 30 agosto 2016 02:36

 

Dia das Vítimas de Desaparecimentos Forçados

Governos por todo o mundo persistem em fazer desaparecer pessoas

 

Governos pelo mundo inteiro recorrem consistentemente aos desaparecimentos forçados para se consolidarem no poder e silenciar a oposição, alerta a Amnistia Internacional ao marcar-se, a 30 de agosto, o Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados.

 
segunda, 29 agosto 2016 12:02

Decisão do Conselho de Estado francês sobre o burkini traça “uma importante linha na areia”

 

A decisão do Conselho de Estado francês, órgão judicial administrativo de topo, que veio anular a proibição do uso do burkini numa cidade de França constitui o traçar de “uma linha na areia” e deve funcionar como jurisprudência para todo o país, avalia a Amnistia Internacional.

 
quinta, 25 agosto 2016 16:20

Proibição do burkini em cidades de França pode abrir caminho a abusos de mulheres e raparigas

 

Um fracasso em anular a recente proibição do burkini em França será uma oportunidade perdida para pôr fim ao ataque à liberdade de expressão e religiosa das mulheres, assim como ao direito a não discriminação, avalia a Amnistia Internacional no momento em que o Tribunal Administrativo de mais elevada instância no país está a analisar uma contestação à proibição adotada em muitas cidades francesas.

 

Pág. 5 de 75